Segunda-feira, 17 de Agosto de 2009

Entre o sizo e o gozo

 

 

Já não é a primeira vez que me vejo a pensar:  há concertos que não deveriam ter encore, quer dizer, há ocasiões em que, tendo tudo já sido dito  (e ainda por cima bem ou quase sempre bem),  não deveríamos forçar os músicos a regressar ao palco para artificialmente voltarem a entusiasmar-se  (quantas vezes forçando o artificial entusiasmo com que disfarçamos um certo sentimento de culpa),  isto porque, regra geral, pouco de melhor ou de igualmente importante terão eles inspiração ou ânimo para nos voltar a ofertar.

 

Tal acontece, sobretudo, com música particularmente densa, pensada, complexa, cujo intenso e exaustivo processo de criação pouco a pouco se vai articulando, digamos assim, a partir do "nada", num processo "desapoiado", ou seja, do qual estão ausentes certas mnemónicas que costumam servir de álibi, repouso passageiro ou ponto de encontro (entre os próprios músicos ou entre estes e o público)  nos momentos em que a criatividade é tocada pelo impasse, pela menor desenvoltura e rasgo, ou mesmo pelo esgotamento.

 

O problema é que, entre nós, concerto que não tenha encore não é concerto que se preze; e mais uma vez isso aconteceu com a actuação do quarteto Buffalo Collision, um dos dois excelentes concertos a que tive o prazer de assistir na segunda etapa do último Jazz em Agosto e que bem teria passado sem o forçado e frágil encore que acabou por ter.

 

Fotos: cortesia © Joaquim Mendes / Fundação Calouste Gulbenkian  

 

Dois ou três aspectos singulares me parece essencial sublinhar na música que nos foi proposta pelos quatro elementos do quarteto, nenhum deles particularmente alinhado em correntes estanques ou "arregimentadas" num sentido estético único, como geralmente acontece  -- basta conhecer-lhes os nomes, descobrir-lhes as ligações, saber-lhes os agentes, ler-lhes os críticos --  com os músicos frequentadores de certos festivais, sejam quais forem as etiquetas que se lhes colem.

 

E foi precisamente esta ausência de "sentido estético único" que constituiu uma primeira qualidade do concerto dos Buffalo Collision:  estavam ali músicos simultaneamente "de dentro" e "de fora" do jazz,  (em termos de cultura assimilada, interiorizada e praticada),  abertos e disponiveis às influências e contaminações mais díspares e sabendo incorporá-las no jazz multifacetado que nos propunham.

 

Um segundo aspecto interessante e inesperado  (para quem não lhes conhecia obra gravada nesta formação)  foi a total ausência da composição previamente escrita, ainda por cima uma componente na qual Tim Berne é particularmente notável e inovador, sendo as três peças propostas inteiramente fruto da justaposição e interacção de vários contributos individuais, mais ou menos preponderantes, que iam livremente confluindo para o erguer de uma obra eminentemente colectiva.

 

Por último, chegados através desta segunda observação à conclusão de que se tratou de música por inteiro improvisada  -- embora curiosamente tonal ou centrada sobre a atracção da(s) tonalidade(s) em movimento perpétuo --  foi possível também concluir, com imensa surpresa, que dela estiveram arredadas quaisquer tentações de circunscrevê-la aos processos declaradamente aleatórios e sonicamente desbragados da improvisação livre evocativa do antigo free jazz ou às tendências mais esotéricas e desenraizadas, ligadas às novas músicas de origem sobretudo europeia, pelo que só se pode saudar mais este caminho de síntese, entre outros que todos os dias nos surpreendem no fervilhar experimental do novo jazz que vai nascendo.

 

 

Já na véspera deste concerto me impressionara muito favoravelmente a banda de metais que o trompetista Dave Douglas trouxe consigo --  para uma actuação de certo modo "desalinhada" com o que é por hábito expectável ouvir-se neste mesmo Jazz em Agosto.

 

Dedicada a Brass Ecstasy  (como o próprio nome da banda deixa supor)  a essa importante personagem fundadora da AACM: Association for the Advancement of Creative Musicians que foi o trompetista Lester Bowie e, sobretudo, à fortíssima e nunca demais exaltada herança musical que nos deixou através  (entre outros grupos)  da sua Brass Fantasy, este novo quinteto de Dave Douglas pretende continuar, precisamente, a evocação da tradição das bandas de metais e sobretudo do espírito festivo e contagiante de uma música bem singular na cultura popular norte-americana.

 

Ao fazê-lo, porém, e procurando certamente seguir o caminho ensinado pelo próprio Bowie, Douglas é suficientemente aberto e multidisciplinar para tornar a sua Brass Ecstasy em muito mais do que uma simples "banda de repertório", invocando os blues, os rhythm' n' blues, as marchas de rua, o gospel ou outras formas de música popular como "formato instrumental e tímbrico" que conjuga com a subversão desse próprio formato ou, sobretudo, dos conteúdos musicais que esse "formato" poderia implicar, se entendidos de uma forma passadista, oportunista e com insinuantes preocupações em relação ao gosto do público.

 

Continuando a ser para mim hoje claro que a prolífica e originalíssima trajectória criativa da carreira de Dave Douglas, como pensador da música e como instrumentista, o terá tornado uma das personalidades mais importantes do jazz dos anos de 1990 em diante  -- bastando para tal recordar obras de referência absoluta que nos vem deixando em disco (1) --  não é menos verdade que a polivalência e a multitude dos seus projectos tão diversos, revelando por um lado exigência e disponibilidade conceptual que parece não terem limites, se arrisca a arrastar consigo uma estudada postura de concensualidade ou a gerar efeitos de transversalidade em relação aos públicos do jazz, com a consequente multiplicação e pulverização da uma frenética actividade profissional.

 

Mas o talento de que dá mostras em quase tudo o que toca com a individualidade da sua visão criativa, comprova como não tem existido até agora esse risco  (muito maior)  da superficialidade e do facilitismo, uma fatalidade claramente afastada no decorrer da actuação desta Brass Ecstasy.

 

Tendo o concerto começado de forma algo insegura  -- porque parecendo os músicos pouco concentrados, a começar pelo líder --  logo uma longa peça dedicada a Enrico Rava, construída em várias secções e amplamente devedora do sentido melódico do evocado, tocou a reunir, vindo recolocar as coisas nos eixos!

 

Seguir-se-iam, como pontos altos do concerto, o dramatismo de Prayer for Baghdad  (com um belo solo de Vincent Chancey na trompa), o tom de festa e da improvisação colectiva de Bowie  (com o trombone de Luis Bonilla e a bateria de Nasheet Waits a positivamente enlouquecerem)  e, ainda, o humor sarcástico de Twilight of the Dogs  (dedicada a George W. Bush)  ou a batida funk de Mr. Pitiful (Ottis Reding).

 

Que melhor gozo se poderia esperar, nesta fase final do Jazz em Agosto?

___________________________

 
(1) Paralell Worlds (Soul Note, 1993)

   Stargazer (Arabesque, 1997)

   Charms of the Night Sky (Winter & Winter, 1998)
   Moving Portraits (DIW, 1998)

   Convergence (Soul Note, 1999)

   Songs for Wandering Souls (Winter & Winter, 1999)
   A Thousand Evenings (RCA, 2000)
   Strange Liberation (RCA, 2004)

   Keystone (Greenleaf, 2005)

   Meaning and Mistery (Greenleaf, 2006)

   Moonshine (Koch, 2008)

   Spirit Moves (Greenleaf, 2009)

 


Jazz em Agosto 2009
Auditório ao Ar Livre
Fundação Calouste Gulbenkian
 
Quinta-feira, 6 de Agosto
Dave Douglas & Brass Ecstasy
Dave Douglas (trompete)
Vincent Chancey (trompa)
Marcus Rojas (tuba)
Luis Bonilla (trombone)
Nasheet Waits (bateria)
 
Sexta-feira, 7 de Agosto
Buffalo Collision
Tim Berne (sax-alto)
Hank Roberts (violoncelo)
Ethan Iverson (piano)
Dave King (bateria)
 

 
Publicado por Manuel Jorge Veloso o_sitio_do_jazz às 17:00
Link para este post
Terça-feira, 4 de Agosto de 2009

O estado do tenor... ...

Não pude deixar de me lembrar de uma das mais entusiasmantes gravações de Joe Hende...

Ler artigo
Publicado por Manuel Jorge Veloso o_sitio_do_jazz às 15:31
Link para este post |
Segunda-feira, 20 de Julho de 2009

Dave Douglas na NPR (...

Lembram-se de, há um mês atrás, aqui ter lançado um post de última hora (mesmo em inglês) chamando a atenção para um...

Ler artigo
Publicado por Manuel Jorge Veloso o_sitio_do_jazz às 17:51
Link para este post |
Quarta-feira, 24 de Dezembro de 2008

Boas Festas

O vídeo até parece começar bem mas pouco depois torna-se vulgar, vira-se para os rodriguinhos do costume, as velas, as l...

Ler artigo
Publicado por Manuel Jorge Veloso o_sitio_do_jazz às 14:30
Link para este post |
Terça-feira, 16 de Dezembro de 2008

Leituras...

...sobre o menosprezado e praticamente desconhecido legado musical de Will Marion Cook (1869-1944) (in City Journal, O...

Ler artigo
Publicado por Manuel Jorge Veloso o_sitio_do_jazz às 10:22
Link para este post |
Sábado, 13 de Dezembro de 2008

Odetta - R.I.P.

Acabado de saír de um febrão que fez uma gripe demorar para além do normal, ainda venho a tempo de não deixar em sil...

Ler artigo
Publicado por Manuel Jorge Veloso o_sitio_do_jazz às 17:46
Link para este post |
Segunda-feira, 31 de Março de 2008

Ante-estreia (5) - Ma...

...

Ler artigo
Publicado por Manuel Jorge Veloso o_sitio_do_jazz às 09:15
Link para este post |

Área pessoal

Pesquisar neste blog

 

Outubro 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Posts recentes

Entre o sizo e o gozo

O estado do tenor... ou d...

Dave Douglas na NPR (agor...

Boas Festas

Leituras...

Odetta - R.I.P.

Ante-estreia (5) - Marta ...

Orrin Keepnews - Capítulo...

Post Scriptum

A música de Enrico Rava e...

Orrin Keepnews - Capítulo...

Orrin Keepnews - Capítulo...

Uma fascinante ideia de c...

Achados no baú (5)

Orrin Keepnews - Capítulo...

Balanços 2007

Uma maior visibilidade pa...

Goodbye

Natal é quando um Homem q...

Conversa via-email com o ...

Orrin Keepnews: um grande...

Achados no baú (4)

Ante-estreia (2) - João L...

Ante-estreia (1) - Júlio ...

Achados no baú (3)

Os 80 anos de Lee Konitz ...

O dia em que Satchmo se c...

Joe Zawinul (mais um que ...

Rollins, Sonny Rollins, a...

Achados no baú (1)

Arquivos

Outubro 2014

Maio 2012

Abril 2012

Fevereiro 2012

Dezembro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Tags

achados no baú

achados no baú (14)

achados no baú (15)

achados no baú (16)

achados no baú (17)

achados no baú (18)

achados no baú (19)

achados no baú (20)

achados no baú (21)

achados no baú (22)

achados no baú (23)

achados no baú (24)

achados no baú (25)

animação

ante-estreias

ao vivo

àpartes

arquivos

artigos de fundo

balanços

blogs

boas festas

bónus de verão

cinema

clubes

colectâneas

concertos

concertos internacionais

concertos portugueses

cooncertos

dedicatórias

descobertas

desenhos

directo

discos

discos em destaque

discos estrangeiros

discos nacionais

distribuidoras

divulgação

documentos históricos

editoras

editoriais

editorial

efemérides

em directo

ensino

entrevistas

escolas

escutas

férias

festivais

fotografia

gravações ao vivo

grupos estrangeiros

história

história afro-americana

homenagens

hot clube

humor

internet

intervalos

jazz

jazz ao vivo

jazz no cinema

leituras

links

live stream

livros

mp3

música sinfónica

músicos

músicos estrangeiros

músicos internacionais

músicos portugueses

músicos residentes

músios estrangeiros

natal

novos discos

obras-primas

pavões

pessoas

podcasts

portugal

prémios

primeira audição

produtores

produtores estrangeiros

r.i.p.

rádio

recursos

reedições

televisão

um bónus de verão

um toque de jazz

video-clip

vídeos

village vanguard

visionamentos

visitas

todas as tags

Links

Subscrever feeds